como fazer receituário médico

Como fazer receituário médico? Confira o passo a passo

Rate this post

É comum surgir a dúvida de como fazer receituário médico, principalmente entre os recém-formados em medicina. Por onde começo? Quais os itens obrigatórios? Posso usar o receituário médico digital? São perguntas que podem aparecer e são elas que vamos responder neste artigo. 

O ato médico é finalizado com a entrega do receituário médico ao paciente. Isso significa que depois de fazer uma avaliação física no paciente, a anamnese e identificar a necessidade de um medicamento ou exame, produz-se o receituário médico. 

É importante frisar que o profissional deve ter conhecimento profundo sobre aquilo que está receitando para que a segurança do paciente seja preservada. Além disso, alguns elementos são primordiais para compor a receita, como a data, via de administração, posologia e tempo de uso. Veja abaixo como fazer receituário médico em alguns passos. 

Como fazer receituário médico em 5 passos

  1. Crie um modelo de receituário médico 

Quando você já deixa um modelo de receituário médico pronto, seu tempo é poupado e diminui as chances de esquecer de algum elemento. Além disso, outra dica é ter usar um receituário médico digital, que também vai agilizar seu dia a dia. 

No entanto, esse receituário médico que você vai criar é para a receita simples. Ela é usada para prescrever medicamentos que possuem tarja vermelha, que não precisam de retenção de receita. Existem outros modelos de receituário médico para a prescrição de medicamentos que são mais controlados, portanto, só podem ser prescritos neles. 

O receituário de controle especial, por exemplo, serve para prescrição dos medicamentos que são vendidos apenas com a retenção da receita. São os medicamentos da Lista C, que possuem substâncias retinóicas de uso tópico, imunossupressoras e antirretrovirais, anabolizantes, antidepressivos.

Você também pode se interessar por saber as diferenças entre os 6 tipos de prescrição médica.  

  1. Defina o problema a ser tratado

Depois de fazer a anamnese do paciente e realizar exames como equipamentos como o Cpap e Bipap, é hora de definir o que será tratado. Esse é o segundo passo de como fazer receituário médico. Com sua experiência e os sintomas do paciente você consegue determinar se será necessário um exame e quais medicamentos prescrever. 

Ao determinar o problema, você também vai precisar dizer quais são os objetivos com aquela terapia proposta. 

É a partir dessa decisão que você vai saber qual tipo de receita vai utilizar. Na grande maioria das vezes será aquele receituário branco simples que você já deixou o modelo pronto. Dessa maneira, é o momento de escolher aquele tratamento que será mais efetivo e seguro para o paciente.

Leia também: Como usar a prescrição digital? Quais seus benefícios?

  1. Faça a prescrição

O terceiro passo de como fazer receituário médico é criar a prescrição em si. Alguns elementos são essenciais em uma prescrição médica e, portanto, o médico não pode esquecer de incluí-los. 

Para ajudar a ficar mais claro de se entender vamos dar um exemplo de receituário considerando-o por partes. 

  • Cabeçalho: é a parte superior da receita médica. Nesse espaço deve conter o nome e endereço do profissional ou da clínica ou hospital; o número de registro profissional e o de cadastro de pessoa física ou jurídica. É possível incluir também a especialidade, quando houver registro no Conselho Regional de Medicina.
  • Superinscrição: fica um pouco abaixo do cabeçalho. Nela é preciso incluir o nome e o endereço do paciente. Pode-se deixar a indicação de “uso interno” ou “uso externo”. 
  • Inscrição: podemos dizer que é como se fosse o corpo da receita. Na inscrição inclui-se o nome do fármaco, a forma farmacêutica e sua concentração.

Leia também: Quais medicamentos são dispensados com receita digital? Lista atualizada!

  • Subinscrição: escrita logo depois da inscrição, ela serve para indicar a quantidade total necessária de fármacos. Esse número deve estar escrito em algarismos arábicos, escrito por extenso, entre parênteses. 
  • Adscrição: esse espaço é destinado às orientações ao paciente.
  • Os últimos elementos do receituário médico, mas não menos importantes, são a data de emissão da receita, assinatura e número de inscrição no conselho de Medicina.

Você também pode optar por fazer o receituário médico de forma digital. O que facilita e agiliza o dia a dia. Confira no vídeo abaixo como fazer uma prescrição digital de forma rápida e segura.

como fazer receituário médico
  1. Oriente ao paciente sobre a terapêutica

Depois que a prescrição estiver pronta, o próximo passo de como fazer receituário médico consiste em explicar ao paciente aquilo que foi prescrito. Ou seja, qual é o tratamento proposto, quais os objetivos com ela e como ele deve proceder com a utilização dos medicamentos. 

Além disso, caso seja necessário um retorno, é importante também fazer essa orientação. Depois de um determinado tempo, é necessário retornar para avaliar se o tratamento foi efetivo. 

É possível entregar ao paciente o receituário médico digital que pode ser feito em plataformas de prescrição médica digital gratuitas, como a Memed, por exemplo, ou também é possível utilizar o método tradicional em papel. Uma das vantagens da prescrição digital é que ela ajuda na hora da decisão clínica, já que conta com mais de 85 mil itens cadastrados.

  1. Monitore o tratamento que propôs ao paciente

Muitas vezes será necessário acompanhar a evolução de um caso. Isso porque dependendo de como ele responder ao tratamento será necessário modificar algo ou até mesmo interromper. 

Por isso, pedir para que o paciente volte em uma consulta em determinado tempo vai possibilitar esse monitoramento. 

Este texto foi escrito pela Memed. Uma plataforma digital que oferece receita digital e traz recursos extras para apoio, como uma base de dados de medicamentos e exames, que aliada às ferramentas de apoio à decisão clínica, auxilia os médicos a tomarem suas decisões. 

É possível saber quando um medicamento interage com outro, por exemplo, ou até quando o paciente tem alergia a algum princípio ativo do medicamento receitado – tudo isso em tempo real. Também é possível verificar se um medicamento é muito caro ou se foi descontinuado. Tudo bem simples e intuitivo. 

Veja mais em Conversa de Comadre.


Publicado

em

por

Tags:

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *